terça-feira, 4 de março de 2008

ÉVORA: Manifestação juntou quase dois mil professores

Perto de 2 mil professores dos distrito de Évora manifestaram-se, ontem na Praça do Giraldo, contra as políticas do Ministério da Educação. “Cada vez mais o Ministério da Educação tem uma política que apenas se rege por questões financeiras, sem privilegiar os aspectos pedagógicos”, disse Maria do Céu Figueiredo do Sindicato de Professores da Zona Sul. O novo modelo de gestão das escolas e a avaliação de desempenho são as medidas mais contestadas. “Os professores não são contra a avaliação de desempenho, sempre a tiveram”, disse a mesma responsável, “são contra é esta avaliação de desempenho e as medidas que o Ministério pretende concretizar”. Com a animação de bombos e empunhando velas, os docentes entoaram palavras de ordem como “está na hora da ministra se ir embora” e “ministra escuta, os professores estão em luta”. O protesto prolongou-se durante hora e meia, seguindo depois para o Governo Civil, onde os docentes entregaram uma moção aprovada.

15 comentários:

Anónimo disse...

Ao que consta parece ter sido uma grande manifestação. Não sei se eram 2000 professores, certamente que não eram. Mas lá que estava uma boa muldura humana isso nínguém tenha duvidas. E será que este tipo de manifestação irá alterar alguma coisa?
Na minha opinião não, pois o governo de Sócrates não se deixa abalar com este tipo de movimentos(infelizmente). Contudo não é so os professore que estão a sofrer pressões e constantes ataques deste governo. Temos os casos da administração publica e dos sectore privados. Não podemos deixar impune este tipo de ploticas.

Anónimo disse...

Este ultimo comentario retrata bem o tempo que estamos a viver.

As pessoas manifestam-se contra aquilo que não lhes parece justo e qual será o resultado desse tipo de manifs? Nada... Continua tudo igual.

Qualquer dia até o direito à indignação começa a ser posto em causa e depois censurado.

Anónimo disse...

Desta manifestação de ontem destacou-se entre muitas a presença do dignissimo Biato Sálu, um ilustre senhor da nossa cidade.
Os professores estão de parabéns conseguiram mobilizá-lo!

insider disse...

Pois eu ontem estive na manifestação e vi muitos, muitos oportunistas a fazerem-se ao nosso votinho.

Sim eu sou professor, não gosto do que a ministra está a fazer mas não confundo isso com o PS ou com o voto.

O PCP é assim como uma espécie de tarado sexual, esses só pensam em sexo.O PCP só pensa em recolher o voto das pessoas que se encontram descontentes com alguma coisa.

Sim fui e irei mas não me confundo com os muitos oportunistas que lá vi e cumprimentei calorosamente. Fazem numero. Usar-me-ei deles sem deixar que me usem a mim.

Passem palavra. Alerta!!!

Lola disse...

Boa semana

A luta dos professores é, como a luta de todos os que sofrem injustiças, de apoiar.

Anónimo disse...

Injustiças existem em todo o lado. Eu próprio me sinto injustiçado. Saio todos os dias de casa, cedissimo para ir trabalhar e depois no fim do mês a recompensa é uma miseria. Quando chego a casa e ligo a tv e vejo as noticias a falar em milhares de euros mal empregues a minha revolta acentua-se.

Anónimo disse...

Os sindicatos querem é intervir na politica educativa e isso tem que acabar. Os professores querem é muito dinheiro e pouco trabalho, muito facilitismo e pouca exigência, muita bandalheira e pouca disciplina.

Anónimo disse...

"Os sindicatos querem é intervir na politica educativa e isso tem que acabar. Os professores querem é muito dinheiro e pouco trabalho, muito facilitismo e pouca exigência, muita bandalheira e pouca disciplina."

deves ser primo(a) do sócrates concerteza! Possivelmente tens um belo ordenado e comida em cima da mesa todos os dias, e não tens de fazer 200km todos os dias para ganhares uma miséria no fim do mês. Apetece-me chamar-te nomes tal como quero chamar ao governo, mas não o vou fazer por respeito à decência. É por isso que este país está como está e quanto menos barulho se fizer, pior ficará.

malukinha d'arroios disse...

vim visitar-te,

como me pediste, pelo ultimo post,vejo que versa um pouco a politica.

acho que todos os sectores de trabalho que movem este pais se devem manifestar através da greve, porque é o unico meio de luta pacífico, para lutar pelos seus direitos.

e enoja-me solenemente, quem comenta, seja dum lado ou de outro, como anónimo.

o meu nick foi tomado por brincadeira, mas o meu nome é maria alice oliveira, muita gente conhece a minha identidade.

beijos e felicidades

P.S.Évora é muito bonito.

Anónimo disse...

Toda agente luta.Agora até o PS marcou um comicío de apoio ao Pinto de Sousa para dia 15 no Porto.
Viva a Democracia.

xistosa disse...

Ao que chegou o país !!!
Os professores têm que se esconder no anonimato ... para poderem dizer algo.
NÃO SOU, NEM NUNCA FUI PROFESSOR !!!
Uma coisa é certa, esta política do governo, na saúde, na educação, e noutras áreas, alguém tinha que a fazer.
Doa a quem doer.
Neste caso dos professores, só há um senão.
O horário completo era ou é de 22 horas.
Como são obrigados a fazer 35 horas, têm que lhe pagar o diferencial, arranjar condições para poderem preparar aulas, fichas e testes, além de outros trabalhos.
Não é a circularem nos corredores ou sentados na secretaria, pois não há condições para mais.
Só assim é que o professor pode ser motivado.
Depois há as colocações.
Alguém consegue arranjar melhor sistema ???
A população fugiu para o litoral, onde não existiam escolas, estas foram construídas, (as outras foram sendo abandonadas pelos alunos e concomitantemente, o número de professores diminuiu - no interior), alguém tem que ser lá colocado e depois de preenchidos os lugares, o que sobra para os mais novos, na carreira?
QUEM É QUE QUER IR DAR AULAS, POR EXEMPLO PARA FORMOSINHO NA GARDUNHA ???
Mas se for para uma qualquer das ilhas, recebe um subsídio de insularidade, ou será de insOlaridade?

Portugal nasceu duma luta, da mãe com um filho, como pode haver harmonia numa "casa" assim ???

Não deixei qualquer comentário antes, porque quase todos os dias "tenho" que visitar 47 "blogues amigos".
Vou voltar, porque gosto do que aqui se passa.
Sou cáustico e corrosivo e nem em próprio sei, quando falo verdade.

VOLTAREI!!!
Uma boa semana

(por coincidência, no meu "cardenho", também abordei o assunto.
É que para arranjar colocação para a minha mulher, em Setembro de 1974, tive que ir do Porto a Lisboa, à Praça José Fontana, salvo erro a um 1º andar e ao fim de 3 dias, agarrar pelos colarinhos, o Presidente da Comissão Nacional de Colocações, um tal Dr. Fino Nogueira e à força, obrigá-lo a colocá-la.
"Estórias" dum revoltado das injustiças ...
Até já !!!
Migalhas!
Ou nem migalhas.

xistosa disse...

As migalhas ficaram fora do local.
Peço desculpa ...
Mas ás vezes caiem para o chão ...
esqueci-me de referir que o horário completo são 35 horas se ...
pois a idade e outros parãmetros, que eu nem quero saber, diminuem E BEM, o número de aulas.
Consta-se que vem aí um subsídio fabuloso de "Baby-sitter" para a grande maioria!

Diabólica disse...

Estou completamnete solidária com os professores.

Mas, tb concordo com o anónimo qd ele diz que n é só esta classe que está a sofrer pressões e constantes ataques do governo.

Por isso, todos em conjunto devemos dizer basta.

O problema é que se as sondagens estiverem certas, mostra a "ignorância" e irresponsabilidade de alguns portugueses.

PS- Tenho um artigo novo no meu blog e gostava de recolher a tua opinião, se puderes faz-me uma visita.

Abraço

macaw disse...

É tão bom ler estas palavras em que se diz que os profs estão a lutar, a lutar, no verdadeiro sentido da palavra! A forma espontânea em que ocorreram as manifestações dos profs mostra bem que a situação irá mudar, embora leve o seu tempo! Espero estar certa!

Tens aqui um bom blog! Gostei! :)
Posso pedir-te um favor?! Tira-me esta verificação de palavras... é que às vezes fico mesmo com os olhos em bico só de olhar para estas letras :S
não me leves a mal...

bjinhos ;)))

xistosa disse...

Os pseudo-sindicalistas, foram os que tomaram de assalto, não as 1ªs vagas, pós-25 de Abril.
Esses dos primeiros tempos, eram os únicos que estavam organizados.
Houve os infiltrados que foram alastrando, chegando-se a números assustadores, por exemplos, NOS sindicatos dos professores.
Já na era Sócrates, eram como cogumelos ... quem queria um destacamento e não conseguia, filiava-se, arranjava uma lista e concorria ,,, o método de Hunt, permite muitas coisas ...
Outros, eram "outros" métodos, (a redundância é propositada)
Esses pseudo-sindicalistas, por artes mágicas, conseguiram que, com o 5º ano, ANTIGO e dois anos de Magistério, fossem equiparados a licenciados.
Os bachareis, com mais habilitações, tiveram que gramar, alguns, dois anos nas Escolas Superiores de Educação, onde os professores primários, DEPOIS, POR UMA QUESTÃO DE ÉTICA, frequentaram alguns MESES, para não darem muito nas vistas.
Os bachareis e licenciados foram ultrapassados nas colocações ...
Isto há uns anitos ...
Alguém que me desminta ... que possuo números e nomes.
Só um exemplo:
Um engenheiro cívil, leccionava, não sei que cadeira ou cadeiras, no INFANTE, no Porto.
Outro, que era arquitecto, idem, idem, aspas ...
Chegam as colocações ... e milagre, um, vai para Famalicão e o outro para a Vila das Aves ...
Adivinhem quem ficou com os seus lugares ....

Na Escola que existia, não sei se ainda existe, em Águas Santas, a mulher dum colega e amigo, foi corrida, ficou sem colocação.
Era bacharel.
No seu lugar colocaram um indivíduo com o 5º ano.
Nem chegou a dar aulas, ou se deu foram poucos dias ... tratei-lhe da saúde, com uma ida a Lisboa, onde conhecia a Mafia que reinava.
Mandaram-no para Vila Real e ela reocupou o lugar.
Sabem o que me disse ... não vou colocar nomes, quem o defendeu no Sindicato?
Primeiro estavam os filiados !!!
Todos os casos que conheci, não os filiei, perfilhei-os e resolvi-os ... como o outro lado resolvia, só que eu, sendo bruto, tratei-os à bruta!
lrgyyar