domingo, 20 de abril de 2008

IDOSOS: Donativos "compram" vagas em lares apoiados pelo Estado

Há lares sem fins lucrativos apoiados pelo Estado que "vendem" vagas em troca de avultados donativos, deixando em lista de espera os idosos mais carenciados. A própria confederação que representa as instituições de solidariedade reconhece que alguns lares "se vêem forçados a recorrer a esses estratagemas" para fazer face aos custos. A Segurança Social sabe da prática, que pode constituir um crime de burla, mas admite ter dificuldade em actuar. No final de 2006, Graça (nome fictício) tentou pôr a mãe, então com 92 anos, no lar da Santa Casa da Misericórdia de uma vila transmontana, onde lhe pediram 15 mil euros. Disseram-lhe que "havia uma longa lista de espera e que se não pagasse davam a vaga a outra pessoa".Perante a situação, os familiares decidiram procurar outros lares. Numa instituição de solidariedade social da área metropolitana do Porto, a mãe ficou em lista de espera, a aguardar uma resposta da direcção.Passados alguns meses, Graça voltou a contactar a instituição de beneficência apoiada pelo Estado. A resposta já não a surpreendeu: "Disseram-me que iam ser francos, que havia pessoas em lista de espera dispostas a pagar cinco mil euros. Ficou decidido que se eu desse essa quantia, a minha mãe tinha uma vaga. Paguei mil contos, deram-me um recibo a dizer 'donativo' e ela entrou logo".A história de Graça é apenas uma entre muitas, segundo a Rede Internacional de Prevenção da Violência Contra a Pessoa Idosa, que garante que situações como esta são generalizadas em Portugal.
________________________________________________________________________________
Para evitar estas situações, o padre Lino Maia defende que deve ser criado um novo modelo de financiamento, segundo o qual a comparticipação do Estado não é fixa, mas atribuída em função dos custos reais dos lares e da situação económica dos seus utentes.Em Portugal, existem 1.583 lares legalizados, dos quais 1.184 apoiados pelo Estado através de acordos de cooperação que abrangem mais de 46 mil idosos.
FLORIVAL PINTO

11 comentários:

Templo do Giraldo disse...

De lamentar este acontecimento. É cada vez mais normal haver subornos em tudo o que seja "negócio". Até as vagas nos lares de idosos apoiados pelo estado já se vendem vagas.

DESPORTO ALENTEJO disse...

TODOS OS RESULTADOS EM:


http://montemor-evora-arraiolos.blogspot.com/

SILÊNCIO CULPADO disse...

Trata-se duma situação verdadeiramente escandalosa da qual já tinha tido conhecimento.
Já não basta a sociedade estar organizada para que seja dificil aos filhos terem os pais consigo. A vida nos subúrbios das grandes cidades, os empregos precários, as longas ausências fora de casa, prédios sem elevadores etc, etc, etc fazem com que a opção pelos lares seja uma necessidade premente. Lares com qualidade, entenda-se. Ora estes "donativos" são possíveis entre os grupos que menos precisam pôr os pais num lar.
Abraço

Kruzes Kanhoto disse...

Essa é, infelizmente, uma triste realidade. A ganância - nem sempre para proveito pessoal, entenda-se - de quem está à frente deste tipo de instituições e o desespero de quem não tem condições para continuar a viver em casa levam a que estas coisas aconteçam.

O Guardião disse...

A situação actual é esandalosa, e é inadmissível que as pensões não cheguem na maioria dos casos para pagar nem metade do custo destas instituições. É prática corrente os donativos ou as cunhas para se conseguir o acesso aos lares.
O lucro e a redução dos custos não se enquadram com situações de solidariedade social.
Cumps

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá meu querido Amigo, li e reli e não faço comentários.
A minha amiga Silêncio Culpado, já disse tudo!
Votos de uma boa semana e muitos beijinhos,
Fernandinha

xistosa disse...

"Atirar" com um idoso para um lar ...
Penso que só em condições extremas, como as que tive de um familiar com Alzheimar, que tinha que estar a oxigénio e mesmo assim, agora já há ajuda, pouca, mas nos grandes centros, onde há tudo ... há mesmo tudo.
Mal está a maioria da população que não tem "amigos", nem dinheiro para os poder "comprar" ...
E então no interior ...
Somos um país de pelintras e da CUNHA ou do dinheiro por debaixo da mesa.

O que sucederia se por exemplo tivesse uma familiar idoso que fosse para um lar e ao chegar lá me pedissem, "luvas"???

Chamava a polícia ... e queria as "condições" por escrito.

Nós comparticipamos na corrupção que se instalou em tudo o que mexe ... neste país.

Todos falam nos problemas das crianças ... mas o maior problema é e vái-se agravando com a 3ª idade.
Este será o grande problema do futuro imediato ...

Anónimo disse...

Segundo li por aqui e no post anterior, queixava-se um visitante que por (contos) 1.000, já era era possivel arranjar um lar.
Pois eu sei de casos que nem 20.000 chegam. Até as casas, propriedades agricolas, etc, querem, além da mensalidade.
E o pior é que os casos que conheço estão ligados à Igreja.
E só para vos dar um cheirinho. Sou católico, meus filhos fizeram o 1º ciclo num colégio de freiras, com direcção destas e de um padre.
Recebiam ajudas do estado e não eram poucas, irmãs, que nada tinham fizeram vivendas de espanto,carros a dar com pau, tinham grande quinta com vacaria e aquando a distribução à tarde de um copo de leite aos alunos, se o mesmo não estava ainda pago (copo de leite) todos bebiam menos aqueles.
E neste filha da puta de País é tudo assim.

Elvascidade disse...

Aqui deixo o convite para que se juntem a todos nós na divulgação de uma causa tão importante para a cidade de Elvas, Hospital de Elvas “Perigo de Derrocada”, visitem o meu blog. Adoptem o logo, e divulguem-no. Precisamos de alertar as mentalidades para este grande problema. Precisamos de lutar por aquilo que é nosso e a que temos direito.
Um abraço.

Anónimo disse...

O que não falta por ai é instituições que vão "vivendo" através destas manobras de falcatrua. Cada vez mais se conhece historias em que alguém fez um donativo a uma determinada instituição em troca de uma vaga para um familiar seu. Acho que todods temos a obrigação de denunciar estes casos. è inademissivel existir lares que se dizem sem fins lucrativos a fazerem negocio com vagas para idosos, e de lamentar também é que muitas destas instituições são apoidas pelo estado Português. Portugal é cada vez mais um País de criminosos e corruptos. Temos de tentar por um travão a esta gente que faz a sua vidinha atrave´s da miséria alheia.

xistosa disse...

O JN, trouxe a notícia hoje, dia 22.
Afinal, está tudo enganado ...
Quem fala verdade são os "testas de ferro dos lares".
Só aceitam donativos, depois das pessoas serem admitidas.

O povo português é todo burro.
Só esses senhores(as) é que estão certos.

De alto a baixo no país, SÓ LADROAGEM !!!