quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

ÉVORA: Ervas e arbustos degradam muralha

Ervas, arbustos e até uma figueira continuam a crescer na muralha de Évora, apesar do arranjo exterior à cerca, feito no âmbito do programa polis. A autarquia desresponsabiliza-se da situação. “O IGESPAR já foi várias vezes alertado pela Câmara Municipal, no sentido de se procurar uma forma de tratar as muralhas, nomeadamente a limpeza de ervas e outras infectantes”, disse o presidente da Câmara de Évora. Por se tratar de um monumento Património Nacional, a responsabilidade pertence ao recém-criado Instituto de Gestão do Património Arquitectónico e Arqueológico (IGESPAR).
O presidente da Câmara de Évora, José Ernesto Oliveira, espera uma resolução rápida do problema. “Estamos acompanhar a situação e espero que se encontre um solução” disse o autarca, explicando que “existem limitações de caracter orçamental que o IGESPAR tem alegado e que impedem de fazer esse trabalho”. Face a estas respostas espera-se agora uma reacção dos responsáveis pelo Património Nacional.

10 comentários:

Anónimo disse...

As entidades competentes que resolvam o caso. As muralhas faz parte da nossa cidade, e é com desagrado que assisto à degradação das mesmas. O igespar que faça alguma coisa para resolver o problema, se existem limitações de orcamento criem fundo ou pensam verbas ao estado. Isto é apenas uma opinião.

Anónimo disse...

É impressão minha ou ja partiram um bocado as muralhas para as pessoas de um condominio terem uma vista! Acho mal que se destrua as muralhas. Os responsaveis deviam ter em conta esta situação.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Évora é uma das cidades da minah paixão. È bom verificar o trabalho que está a ser feito par que haja a preocupação de manter o seu valiosissímo património.

Amanhã, dia 14 haverá uma postagem colectiva, de iniciativa do blog LUZ DE LUMA em defesa da inocência e contra a pedofilia. Se quiseres aderir copia a imagem que está no post de hoje no Silêncio Culpado.

No blog solidário Sol Poente http://o-sol-poente.blogspot.com, publiquei hoje uma reportagem do jornal Noticias da Manhã/Primeiro de Janeiro com o nosso amigo Raul do Sidadania.
Um abraço

musqueteira disse...

pois então deixe-me que lhe diga, que irá demorar este caso. ainda hoje telefonei para o gabinete da Sec. Est. Cultura...e o que estava a ser tratado anteriormente aguarda conhecimento prévio dos dossier's. é o problema das imensas alterações e mudanças politicas. saem...entrão...e estudam dossier's. quanto a évora...e ao alentejo...é minha tamanha paixão!que se proteja seu todo património.
bom sucesso!

Anónimo disse...

O Ernesto que arranque as ervas e não arranje bodes expiatórios e desculpas esfarrapas para a sua incapacidade e incompetência.
Ervas em ruas e praças desta cidade é coisa que não falta.

Anónimo disse...

anónimo das 22.16 tudo é da responsabilidade do municipio?
o mal deste país é que são as autraquias que em ultimo lugar assumem responsabilidades que não lhe pertencem.

Zé do Cão disse...

Na realidade não podem ser as Camaras a resolver tudo. Mas também é verdade que as Camaras querem meter-se em tudo. E é uma tecla bem batida atirar as culpas sempre para Lisboa. Dá jeito. Mas também não é menos verdade que Lisboa, não faz nada de nada. O Patrimonio Nacional, que no fundo limita-se a uns castelos, palacios que já foram, museus e pouco mais, estão todos numa decadencia miserável.
Não há dinheiro é sempre a desculpa. Mas há dinheiro para o que eles querem, inclusivé, carrões,
cala.te boca e deixa andar.

Capriccio disse...

É uma tristeza, eu dou muito valor as coisas antigas, mas nem toda a gente tem interese em estimalas. Um abrazo.

Anónimo disse...

Pois é meu caro eu também dou valor as coisas mias antigas mas neste país já ninguem respeita isso. Qualquer dia so falta é derrubarem as muralhas para fazer mais umas casas. É o que está a dar.

Anónimo disse...

Mais uma entrada de Ernesto LEÃO para uma saída de sendeiro...